10 fatos sobre a uva Carménère - WineZap

10 fatos sobre a uva Carménère

 

Uva emblemática do Chile, a Carménère tem uma história curiosa: dada como extinta, ficou dezenas de anos vivinha-da-Silva e muito bem escondida em meio aos vinhedos da sua “irmã” Merlot nos vales Cachapoal e Colchagua.

Listamos abaixo 10 fatos sobre a Carménère – mas antes confira aqui a lista de Carménères com preços promocionais clicando aqui.

 

 

01. Foi uma das cepas mais plantadas na região do Médoc e Graves, Bordeaux, até a metade do século XIX.

 

02. Na década de 1860 foi dizimada pela grande praga da Filoxera, um pequeno inseto que ataca as folhas e raízes das vinhas fazendo com que sequem e morram.

 

03. A Carménère foi levada ao Chile pouco antes da metade do século XIX acreditando-se se tratar de clones de Merlot.

 

04. No Chile a variedade se adaptou muito bem, ficando “escondida” nos vinhedos de Merlot até 1994.

 

05. Em 1994, Jean-Michel Boursiquot, um francês especialista em botânica de vinhas, notou que boa parte dos Merlot demoravam mais para amadurecer do que o resto do mesmo vinhedo. Desconfiado, descobriu que quase 50% do que se acreditava ser Merlot eram na verdade clones de Carménère, dada como extinta na Europa.

 

06. Em 1998 o Ministério da Agricultura do Chile registrou a variedade como presente no país.

 

07. A maior região produtora dessa uva são os vales de Cachapoal e Colchagua, obviamente no Chile.

 

08. A principal característica da uva ao paladar são sabores levemente picantes, que lembram muito a pimentões verdes e amarelos.

 

09. Por terem o amadurecimento lento (em média 4 a 5 semanas após a Merlot) produzem menos uvas e seus vinhos são consequentemente mais concentrados.

 

10. Os dois tipos de solo preferidos são o arenoso e o argiloso.